Identidade digital: o futuro dos documentos eletrônicos

Imagem de destaque para Blog Post "Identidade digital: o futuro dos documentos eletrônicos" no site da Assinei
A identidade digital promete facilitar a vida dos brasileiros. Saiba o que ela é, como funciona e quem pode fazer! Confira!

A digitalização de documentos já é uma realidade para muitas empresas. A tendência é que ela se torne cada vez mais frequente no dia a dia das pessoas — como prova disso, temos a implantação da identidade digital.

A princípio, ela promete facilitar a vida dos brasileiros, visto que, vai reunir todos os documentos em um só lugar, incluindo, RG, CPF, título de eleitor, carteira de motorista e outros.

Neste artigo, você vai entender o que é identidade digital, como ela funciona, seus benefícios e muito mais.

Confira a seguir!

O que é identidade digital?

Conhecida como Documento Nacional de Identificação (DNI), a identidade digital é basicamente um documento que reúne o CPF, Título de Eleitor, Certidão de Nascimento e CNH em um só lugar — isto é, em um aplicativo de celular disponibilizado na Apple Store e na Play Store.

Como ainda não aconteceu a nacionalização da identidade digital, hoje ela não substitui todos os documentos. Isso significa que muitos órgãos e instituições ainda exigem os documentos separados.

Também é importante ressaltar que a implantação desse documento ainda não ocorreu de forma definitiva, por conta de uma série de fatores. O mais recente foi a pandemia do coronavírus, que interrompeu alguns processos.

Logo, o aplicativo da identidade digital ainda não está disponível para download.

Como funciona a identidade digital?

Primeiramente, para começar a utilizar a identidade digital, será preciso baixar o aplicativo no Play Store ou na Apple Store e fazer um cadastro por meio de um leitor biométrico ou por senha de 6 dígitos.

Logo após fazer o cadastro, o sistema informará um posto de atendimento próximo ao seu endereço para coletar dados da biometria e foto, caso não tenha sido feito em um momento anterior.

Feito isso, um novo número de nove dígitos será gerado, o DNI. Assim, ao longo do tempo, esse número será adicionado aos documentos de identidade de cada brasileiro.

Vale lembrar que a identidade digital está sob comando do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O órgão é o responsável por gerenciar o banco de informações da população e compartilhar os dados dos demais órgãos.

Quais são os benefícios da identidade digital?

É fato que estamos vivenciando um momento de transformação digital. Sendo assim, o uso de documentos digitais se tornará uma prática cada vez mais comum.

Confira quais benefícios a identidade digital pode oferecer.

Segurança

A identidade digital é segura porque possui alguns fatores de autenticação que comprovam que uma pessoa é ela de fato, como a leitura biométrica ou o QR Code dinâmico gerado pela identidade.

Assim, fica mais difícil ter fraudes, uma vez que é possível rastrear e detectar, de forma rápida, o IP e de qual equipamento foi usado.

Praticidade

A identificação digital ajuda a agilizar os processos, visto que, não é preciso apresentar documentos impressos para realizar transações.

Assim, a junção de documentos para levar ao banco e autenticação em firma, não será mais necessária.

Preservação ambiental

A partir do momento que a implantação da identidade digital se tornar definitiva, haverá a redução do uso de papel. Como resultado, teremos economia no serviço postal, transportante e consequentemente menos poluição e maior preservação do meio ambiente.

Quem pode fazer a identidade digital?

Em síntese, todos os brasileiros poderão emitir a identidade digital. Logo não serão apenas os eleitores, que já tem cadastro na Justiça Eleitoral.

Contudo, o programa do Governo que dará sequência ao projeto tem o nome de Identificação Civil Nacional (ICN), sendo o responsável por coletar os dados biométricos dos cidadãos.

Como a identidade digital poderá ser utilizada?

Como explicamos anteriormente, o sistema ainda não foi implantado definitivamente. A expectativa é que com sua regularização, ele será utilizado nas mesmas situações em que há a necessidade da apresentação dos documentos em papel.

Confira alguns exemplos:

Votar

Assim como é possível fazer com o e-Título, será possível votar nas eleições municipais e nacionais com a identidade digital. Seu uso vai representar mais agilidade, bem como a prevenção de perdas e extravios.

Fazer cadastros

Para fazer alguns cadastros, é necessário preencher informações de documentos como RG, CPF, título de eleitor e outros.

Com o uso da identidade digital, a criação de contas em bancos, consultórios e outros lugares ficará mais fácil e rápido, já que só será necessário apresentar uma identificação.

Check-in em viagens

Com a identidade digital, o processo de check-in em viagens será mais prático e rápido, uma vez que, você poderá apresentar todos os documentos necessários por meio do aplicativo. Isso garante a segurança, traz mais praticidade para os cidadãos e também evita possíveis fraudes.

Por que a identidade digital é segura?

Diferente do documento em papel, que pode ser fraudado, a identidade digital será gerada e autenticada por meio da verificação de chaves de segurança em um servidor protegido.

Em outras palavras, os dados aparecerão criptografados no tablet ou celular. Dessa forma, toda vez que você acessar a identidade digital no servidor do governo, o sistema enviará uma informação codificada, gerando um código no mesmo momento — ou seja, você poderá lê-lo com outro dispositivo e fazer a verificação cruzada (cross check) das informações

É importante destacar que o sistema de criptografia permite que essas informações sejam lidas somente por quem tem a chave de acesso. Logo, seus dados de identificação não poderão ser adulterados.

Quais são as perspectivas futuras em relação a identidade digital?

Existem algumas tendências que prometem garantir eficiência e segurança em relação a identificação digital.

Reconhecimento facial: técnica de processamento de imagem e visão, via computadores, para precisar a identidade de alguém.

Reconhecimento da íris: a íris do olho é única e é identificada com equipamentos de alta tecnologia, que são capazes de analisar as partes oculares.

Autenticação dobrada: a criptografia por QR Code dá sempre um código diferente ao acessar o documento. Não é possível dar print ou fotografar, visto que o tempo de validade é curto. Outra opção é o o SMS Token, meio de autenticação com o uso de números que um sistema envia ao celular para validar a identidade, utilizado hoje por bancos e diversas instituições;

Biometria: a biometria reconhece de forma digital qualquer parte do corpo como a íris, voz, rosto, geometria da mão e outros locais.

Assinatura digital: com o uso do certificado digital, documentos podem ser assinados com total segurança em celulares, tablets e computadores, por meio da criptografia de dados.

Você pode conhecer mais sobre a assinatura digital no artigo que publicamos sobre os principais tipos de assinatura.

Conclusão

A identidade digital está chegando para agilizar os processos em diversos setores bem como para garantir mais segurança, evitando fraudes e extravios de documentos.

Em síntese, ela reforça a importância da digitalização de documentos como meio de reduzir custos, desburocratizar processos e garantir mais eficiência aos processos.

Enquanto a DNI não entra em vigor, que tal já começar a adotar os documentos e contratos eletrônicos no seu dia a dia?

Saia na frente e traga mais praticidade para a sua gestão de contratos e assinaturas! Solicite hoje mesmo sua demonstração da Assinei e conheça como podemos otimizar as atividades da sua empresa.

Assinei | Assinaturas Digitais e Eletrônicas | Uma Solução Aliare