Cooperativa agropecuária: o que é e como funciona esse tipo de associação

Imagem de destaque para post sobre cooperativa agropecuária no Blog Assinei. (Créditos da imagem: Freepik)
Conheça o que é a cooperativa agropecuária, como funciona esse tipo de associação e qual a importância dela para o agronegócio brasileiro.

A cooperativa agropecuária representa uma alternativa viável para pequenos produtores rurais que enfrentam a dificuldade de comercializar seus produtos.

De modo geral, esse tipo de associação atua diretamente na venda das produções dos cooperados e na compra de insumos direto da indústria.

Para saber como a cooperativa agropecuária funciona e suas principais vantagens, continue a leitura!

O que são as cooperativas agropecuárias?

Primeiramente, vamos falar um pouco sobre o que é o movimento cooperativista.

O cooperativismo é um movimento econômico e social em que a cooperação se baseia em dois pontos principais: na participação dos associados e no desenvolvimento de atividades econômicas que visam atingir o bem comum. O objetivo é promover uma reforma social dentro do capitalismo.

Nesse sentido, as cooperativas agropecuárias consistem na união de diferentes produtores rurais que possuem objetivos comuns como, por exemplo, solucionar problemas específicos da atividade rural, melhorar a situação econômica e satisfazer as necessidades do setor.

Embora também tenha o objetivo econômico, a cooperativa possui uma finalidade diferente de uma empresa. Isso porque enquanto um negócio tradicional visa o lucro, a cooperativa agropecuária tem como intuito aumentar a visibilidade do produtor rural, bem como ajudar o grupo a se sair melhor no mercado.

Contudo, elas representam uma alternativa viável, especialmente para o pequeno produtor, que precisa escoar sua produção e garantir a compra de matéria-prima, insumos e suprimentos a preços atrativos.

Como funcionam as cooperativas agropecuárias?

Normalmente, quem participa das cooperativas agropecuárias são os produtores rurais, que se organizam com os seguintes objetivos:

  • Vender suas produções em grandes quantidades no mercado;
  • Comprar insumos diretamente da indústria;
  • Prestação de assistência técnica;
  • Armazenagem da produção;
  • Industrialização de serviços.

Nesse caso, produtores de soja, por exemplo, se unem para vender a produção de soja de maneira agrupada. O mesmo acontece com produtores de milho, arroz, entre outros bens agrícolas.

Vale destacar que o funcionamento das cooperativas é regulamentado pela Lei nº 5.764/1971. Sendo assim, as associações são movimentos democráticos, em que os integrantes tomam decisões em conjunto por meio de assembleias.

Além disso, cada participante com registro na cooperativa pode votar e eleger representantes entre os membros como diretores.

Independente do setor da cooperativa, os membros devem seguir os princípios básicos:

  • Adesão voluntária e livre;
  • Gestão democrática;
  • Participação econômica dos membros;
  • Autonomia e independência;
  • Intercooperação;
  • Educação, formação e informação;
  • Interesse pela comunidade.

Quais são as principais vantagens das cooperativas agropecuárias?

As cooperativas agropecuárias oferecem uma série de vantagens aos seus cooperados. Confira algumas delas!

Escoamento da produção

Na cooperativa agropecuária, o produtor rural tem a possibilidade de vender sua produção sem preocupar em encontrar o consumidor. Isso acontece porque ao reunir a produção de várias pessoas, a associação junta um volume grande de produtos e, assim, consegue uma boa negociação dos preços.

Investimentos e compra de insumos

Como os investimentos e compras de insumos são feitos em quantidades maiores, visto que atende um número maior de produtores, a cooperativa também consegue negociar preços melhores. Na prática, isso possibilita compras mais acessíveis e com menor valor.

Assessoria especializada

Normalmente as cooperativas possuem, em seu quadro de colaboradores, especialistas em áreas de interesse dos cooperados.

Assim, em uma cooperativa agropecuária, é comum ter veterinários, agrônomos e técnicos para dar suporte aos cooperados, além de ajudar a melhorar a produção.

Como se associar a uma cooperativa agropecuária?

Antes de tudo, para se tornar um cooperado, é necessário se informar sobre a associação.

Por isso, o ideal é ir até à cooperativa, ler o estatuto e buscar referências de outros membros ou ex-associados.

Outro ponto importante é pedir informações sobre a cota e tirar todas as dúvidas em relação à afiliação.

Nesse sentido, é fundamental se informar sobre como é o repasse dos ganhos e gastos da associação aos cooperados. Além disso, é indispensável saber o que acontece se a cooperativa tiver prejuízo ou falir em algum momento.

Após verificar se a cooperativa se enquadra na sua atividade rural e tirar todas as suas dúvidas, o próximo passo é separar a documentação necessária para se associar.

Depois, será necessário entregar a documentação e solicitação para análise. Caso seja aprovado, você deverá cumprir todas as diretrizes organizacionais estipuladas pela cooperativa.

Vale ressaltar que cada unidade da federação possui uma instituição responsável pelo registro, representação, defesa e formação profissional do cooperativismo.

Em Goiás, por exemplo, a entidade que representa o movimento cooperativista do estado é o Sistema OCB/GO. Em caso de dúvidas sobre como funciona o modelo de negócios cooperativista e sobre qualquer cooperativa (se está registrada, por exemplo), a instituição está à disposição para esclarecê-las. 

Qual é o impacto das cooperativas agropecuárias na digitalização do agronegócio?

Por serem o contato mais próximo de fornecedores do agro com os produtores rurais, as cooperativas agropecuárias adquirem conhecimento e possuem acesso às novidades e tendências tecnológicas voltadas ao trabalhador do campo.

Assim, podemos afirmar que essas cooperativas influenciam diretamente na transformação digital das propriedades rurais. Veja a seguir os principais motivos:

Proximidade com o produtor rural

A princípio, as cooperativas agropecuárias têm um canal direto com os seus produtores, tanto por meio de eventos ou visitas, sejam elas dos produtores à cooperativa ou vice-versa.

Essa aproximação possibilita que as cooperativas tenham uma maior compreensão dos problemas e necessidades do produtor rural. Desse modo, elas podem ajudar empresas de tecnologias a entender melhor essa realidade, de forma a contribuir para o desenvolvimento de soluções que atendam as dificuldades do setor agrícola.

Além disso, ao identificar uma possível solução para o problema de seus cooperados, a cooperativa pode procurar opções de produtos já existentes no mercado ou sugerir a implementação de novas ferramentas tecnológicas.

Difusão de tecnologias

Seguindo esse raciocínio, ao identificar que determinada tecnologia é útil para os seus cooperados, a cooperativa pode indicar a solução para eles. Os agrônomos que trabalham na associação também podem contribuir, instruindo os produtores rurais e tirando dúvidas sobre a utilização da ferramenta.

Outra alternativa é criar eventos para apresentar as novidades presentes no mercado. Na ocasião, a cooperativa pode reunir os associados em algum local para a demonstração dessas tecnologias.

Conhecimento da cadeia inteira do produto

Em muitos casos, as cooperativas agropecuárias participam de toda a cadeia de determinados produtos. Isso acontece porque as associações conhecem as dores de cada fase da atividade rural, o que consequentemente contribui para que elas consigam identificar as melhores tecnologias para seus cooperados.

Quais são os desafios e perspectivas das cooperativas agropecuárias no Brasil?

Em geral, as cooperativas agropecuárias são reconhecidas por abastecer os lares brasileiros com alimentos e levar modernização ao campo, por meio da implementação de novas tecnologias.

De acordo com a Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), o impacto das cooperativas é notório para o desenvolvimento do setor agropecuário brasileiro. Por meio delas, os produtores passam a ter mais controle de seus processos ao obter serviços de assistência técnica e agregar mais valor à sua produção.

Além disso, as cooperativas agropecuárias também trazem benefícios e econômicos ao campo, em especial com a geração de empregos. Apenas em 2020, segundo o Sistema OCB/GO, o ramo agropecuário contribuiu para a criação de 27,5 mil novos postos diretos em todo o país.

Desafios e oportunidades

Sabemos que a pandemia da Covid-19 trouxe grandes desafios para todos os setores da economia, inclusive para o agropecuário.

No entanto, em meio o cenário de crise, o agronegócio brasileiro demonstrou sua capacidade de produzir de forma segura e eficiente, garantindo o abastecimento interno e conseguindo suprir a demanda global.

Nessa realidade, a atuação das cooperativas ganhou destaque e se tornou fundamental, principalmente para encarar desafios cada vez mais iminentes.

Um deles é o processo de transformação digital, que está em constante aceleração. Em um mercado cada vez mais competitivo e exigente, a agregação de tecnologias em todas as etapas do processo produtivo agrícola será um diferencial nos próximos anos.

No entanto, é importante ressaltar que apesar de o agronegócio já estar inserido em um contexto digital, há muitos obstáculos a serem enfrentados nos próximos anos. A conectividade no campo, por exemplo, é uma questão chave, sobre a qual falamos no nosso artigo sobre a agricultura 4.0.

Por fim, em um sentido mais amplo, as cooperativas agropecuárias prometem maiores ganhos a partir da sua representatividade na escala, demonstrando que a intercooperação pode trazer progresso para o mercado nacional e internacional.

Gostou de saber mais sobre a importância das cooperativas agropecuárias? Aproveite e leia nosso artigo sobre os benefícios da assinatura digital para o produtor rural.

Publicações relacionadas